Por que contratar uma organizadora de eventos?

Algumas coisas que a Gliese Eventos pode fazer por você:

• Garantir a sua tranqüilidade e o sucesso do seu evento.
• Oferecer-lhe o melhor orçamento, com os melhores preços, indicando os profissionais mais qualificados.
• Coordenar a atuação de cada profissional envolvido;
• Orientar na assinatura de contratos;
• Organizar e coordenar tudo que acontece no dia do evento;
• Resolver emergências e imprevistos.


ANTES DO CASAMENTO:
- Planejamento e organização de noivado e comemorações pré-casamento como: chá bar, chá de cozinha e/ou chá de lingerie, despedidas, jantares, etc. *.
- Orientar e informar sobre todos os procedimentos para dar entrada na documentação do casamento civil e religioso.
- Assessorar na escolha do local da cerimônia e recepção e de todos os outros profissionais envolvidos, acompanhando os noivos nas principais reuniões.
- Elaborar a planilha de previsão de gastos, cronograma para contratação dos profissionais e check-list das atividades.
- Elaborar uma relação com todos os dados necessários dos profissionais envolvidos no casamento e confirmação – na semana do casamento – de todos os serviços contratados.
- Confirmar a presença dos convidados – RSVP, disponibilizando uma linha telefônica exclusiva para os noivos, com secretária eletrônica (fora do horário comercial), fazendo o ativo quando necessário, e a organização da lista.
- Acompanhar o ensaio do casamento na Igreja com damas, pajens, pais, padrinhos e noivos.
- Acompanhar a noiva na escolha do vestido, prova de cabelo e maquiagem, fotografando o teste e as provas do vestido.
- Envio de um feedback quinzenal para os noivos deixando-os par de todas as nossas atividades relacionadas ao seu casamento.
- Assessoria para o noivo dada pelo sócio da empresa.


NO DIA DO CASAMENTO:
- Acompanhar a montagem da Igreja e da Recepção, verificando todos os detalhes já determinados pelos noivos.
- Levar a bagagem dos noivos para o hotel e o carro para o bufê. - Fazer check-list dos convidados na porta do bufê.
- Na Igreja, recepcionar pais, padrinhos, pajens e daminhas, conduzindo-os para o local determinado e organizar o cortejo.
- Organizar os convidados quando necessário, reservando bancos e mesas para as pessoas designadas pelos noivos.
- Recepcionar a noiva na Igreja, dando toda a assessoria necessária, ajudando - a com o vestido, com o buquê, retocando a maquiagem e orientando sua entrada.
- Acompanhar o desempenho de todos os profissionais.
- Acompanhar os noivos em todos os momentos do casamento civil, religioso e recepção.
- Distribuir Kit Balada, havaianas e outros acessórios; e coordenar com os outros profissionais o clipe de fotos, buquê, câmeras descartáveis, cartão de agradecimento no carro e todas as outras lembrancinhas que os noivos desejarem.
- Ao final da recepção, verificar a quantidade de bebidas, doces, bolo, lembrancinhas e bem-casados restantes e colocá-los nos carros autorizados pelos noivos.
- Entregar lembrancinhas para os convidados na saída.


DEPOIS DO CASAMENTO:
- Receber e devolver os trajes alugados.
- Após o evento, entregar uma planilha com tudo o que foi consumido, quantidade de pessoas, número de carros, etc. - Entrar em contato com foto e vídeo para que o material seja entregue o mais breve possível.
- Organizar outros eventos como: open house, chá de bebê, batizados, festas de 15 anos, aniversários, festas de empresas, etc. *.

Entre em contato conosco e solicite nosso prospecto completo!

Curiosidades sobre casamento

A lei do desejo:

No Brasil e na França a idade mínima para casar é 18 anos. Se for o caso de casar antes, os noivos precisam de autorização dos pais. Aqui, como em boa parte dos países ocidentais, os casamentos são monogâmicos e realizados entre um homem e uma mulher, diferente de muitos estados Islâmicos, onde um homem pode casar com várias mulheres. Na Holanda, Bélgica e Espanha, em quase todo o Canadá em alguns estados americanos, o casamento é válido entre pessoas do mesmo sexo.

Alianças: A palavra aliança surgiu por volta do século XV, provavelmente na França.

Mary de Burgundy foi a primeira noiva da história a usar uma aliança como sinal de amor e união duradoura. A iniciativa de presenteá-la com um anel de diamantes foi de seu noivo, o Arquiduque Maximilan da Áustria, em 1477.

A forma circular do anel, sem começo nem fim, seria um prenúncio da continuidade do amor e devoção ao longo da vida do casal.

O costume de usar o anel no dedo anelar da mão esquerda parece ligado a uma crença antiga. Acreditava-se que nesse dedo existia uma veia que ia direto para o coração. O dedo anular esquerdo tornou-se, assim, o dedo da aliança de casamento em diversas culturas.

Amêndoas: Os italianos acreditam que as amêndoas trazem felicidade aos noivos. São oferecidas cinco, envoltas num tule. Cada uma das amêndoas tem um significado. São eles: saúde, riqueza, vida longa, fecundidade e felicidade.

Arroz: Uma das mais antigas tradições de casamento, o costume de jogar arroz originou-se com os antigos hindus e chineses. Nessas culturas, o arroz era símbolo de frutificação e prosperidade. Acreditava-se que o lançamento de arroz nos noivos após a cerimônia era um oferecimento de fertilidade. Comer arroz e outros grãos garantia saúde, riqueza e felicidade ao jovem casal.

Bem Casados: Os bem-casados denotam uma doce união.

Bolo: O bolo sempre desempenhou um papel muito importante nas festas de casamento. Antigos romanos partiam um bolo na cabeça da noiva para simbolizar fertilidade ou abundância. Muitas outras culturas jogavam trigo, farinha ou bolo na cabeça da noiva e depois comiam os restos para terem sorte. Os primeiros britânicos assavam cestos feitos com biscoitos, que os convidados levavam para casa, ao final da cerimônia. Os noivos tentavam se beijar sobre estes pedaços. O costume do “bolo da noiva” veio da França. Conta-se que um francês assistiu a um casamento inglês no qual o noivo e a noiva se beijavam por cima de uma mesa cheia de doces. Voltando ao seu país, achou mais interessante fazer, em vez de montes de doces, um só bolo modelado e confeitado.

Bouquet: Para os antigos gregos e romanos, o bouquet era formado por uma mistura de alho e ervas ou grãos. Esperava-se que o alho afastasse espíritos maus e as ervas ou grãos garantissem uma união frutífera. Na antiga Polônia, acreditava-se que, colocando açúcar no bouquet da noiva, seu temperamento se manteria “doce”.
A entrega do bouquet representa a despedida da noiva, que o atira para repartir com os convidados, num gesto generoso, a sua felicidade.

Noiva do lado esquerdo do noivo: Durante a celebração do casamento, a noiva se posiciona no lado esquerdo do noivo. É uma tradição que remonta à Idade Média: se algum homem tentasse “roubar” a futura esposa do noivo, este a defenderia com a espada, usando o braço direito para o combate. Outros dizem que, quando a noiva fica no lado esquerdo, afasta o risco da infidelidade

Noivo não pode ver a noiva vestida para a cerimônia: É uma tradição milenar praticada por quase todos os povos. Em alguns países árabes, o casamento, especialmente dos muçulmanos, ainda hoje é celebrado entre o pretendente e o pai da noiva (esta aguarda em outra sala). Somente depois da celebração do casamento pelos homens é que a noiva se encontra com o futuro marido. A tradição também ensina que o homem não deve tocar em nenhum pertence da noiva, para não quebrar o encanto do matrimônio. Pode-se tocar apenas em objetos de vidro e ouro.
Vestido:A cor branca do vestido de noiva só foi popularizada no século XIX, no casamento da Rainha Vitória. Ela lançou a moda que permanece até os dias atuais. Antes disso, não havia cor específica para a cerimônia; a cor mais usada era o vermelho, que simbolizava “sangue novo” para a continuação da família. O branco acabou sendo o preferido, por simbolizar a castidade e a pureza.

 
Copyright © 2019 | Gliese Soluções em Eventos
Desenvolvido por Portal Cidade
Gliese Eventos no FacebookGliese Eventos no Twitter (EM CONSTRUÇÃO) FALE CONOSCO   |   DEPOIMENTOS   |   ORÇAMENTO
E-mail: contato@glieseeventos.com.br
Tel.: (35) 4101-2107 | Cel.: (35) 9 9915-5048